COMANDO DA MARINHA

SERVIÇO DE SELEÇÃO DO PESSOAL DA MARINHA

CONCURSO PÚBLICO PARA INGRESSO NO

CORPO DE ENGENHEIROS DA MARINHA (CP-CEM) EM 2018 

Ao ingressar no Corpo de Engenheiros da Marinha do Brasil, o candidato estará optando por abraçar a carreira militar como Oficial da Marinha, e não por exercer apenas sua profissão técnica.

 

Serão abertas diversas novas possibilidades, muitas vezes diferentes do que aquelas permitidas por sua formação original. Por isso, se você deseja ultrapassar os limites de sua formação técnica, ampliando seus horizontes e seguindo uma carreira cheia de possibilidades e emoções, plena de realização profissional, numa das mais antigas e conceituadas instituições do país.

 

 

PROFISSÕES:

Arquitetura e Urbanismo

Engenharia Cartográfica

Engenharia Civil

Engenharia de Materiais

Engenharia de Produção  

Engenharia de Sistemas de Computação

Engenharia de Telecomunicações  

Engenharia Elétrica

Engenharia Eletrônica  

Engenharia Mecânica  

Engenharia Mecatrônica

Engenharia Naval  

Engenharia Nuclear

Engenharia Química

 

EDITAL COMPLETO: 

=> AQUI <=

 

INSCRIÇÃO

=> AQUI <=

 

São condições necessárias à inscrição:

a) ser brasileiro nato, de ambos os sexos, nos termos do art. 12, I, da CRFB/88;

b) ter menos de 36 (trinta e seis)  anos de idade no primeiro dia do mês de janeiro 2019, nos termos da Lei nº 12.704, de 08 de agosto de 2012;

c) possuir bons antecedentes de conduta, a ser apurada por meio de averiguação da vida pregressa do candidato, através da VDB.

 

*Se militar ou membro da Polícia ou do Corpo de Bombeiros Militar, em atividade, apresentar, na data prevista para entrega de documentos para a realização da VD, conforme previsto no calendário de eventos, atestado de bons antecedentes, emitido pela autoridade a quem estiver subordinado, conforme modelo constante na página oficial da DEnsM na Internet e disponível nas OREL do Anexo I;

 

d) estar em dia com as obrigações do Serviço Militar e da Justiça Eleitoral;

e) estar autorizado pela respectiva Força Armada ou Força Auxiliar, em se tratando de militar ou membro da Polícia ou do Corpo de Bombeiros Militar, em atividade.

 

**Se militar da MB, o candidato deverá cumprir os procedimentos de comunicação da inscrição em concurso público;

 

f) não estar na condição de réu em ação penal;

g) não ter sido, nos últimos cinco anos, na forma da legislação vigente:

I) responsabilizado por ato lesivo ao patrimônio público de qualquer esfera de governo, em processo disciplinar administrativo, do qual não caiba mais recurso, contado o prazo a partir da data do cumprimento da sanção; ou

II) condenado em processo criminal com sentença transitada em julgado, contado o prazo a partir da data do cumprimento da pena.

 

 h) se ex-integrante de qualquer uma das Forças Armadas ou de Força Auxiliar, não ter sido demitido ex officio por ter sido declarado indigno para o Oficialato ou com ele incompatível, excluído ou licenciado a bem da disciplina, salvo em caso de reabilitação;

 

i) ter concluído o curso de Graduação em Engenharia, relativo à profissão a que concorre, até a data prevista no Calendário de Eventos do Anexo II, para a Verificação de Documentos;

 

j) estar registrado no órgão fiscalizador da profissão a que concorre, até a data prevista no Calendário de Eventos para a Verificação de Documentos;

 

k) não ter sido reprovado, por insuficiência de nota de conceito ou por falta disciplinar incompatível com o Oficialato, em Curso de Formação de Oficiais ou Estágio de Aplicação de Concurso Público anterior;

 

l) ter grau hierárquico até o posto de Primeiro-Tenente, se militar em serviço ativo ou na reserva (art. 8º, parágrafo 2º da Lei nº 9.519/97);

 

m) efetuar o pagamento da taxa de inscrição ou requerer sua isenção conforme previsto no item 3.4 do Edital;

 

n) possuir Inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF);

 

o) possuir documento oficial de identificação, com fotografia e dentro da validade; e

 

p) cumprir as demais instruções especificadas para o Concurso Público.

 

q) O valor da taxa de inscrição é de R$ 80,00 (oitenta reais). 

O número do CPF e do documento oficial de identificação serão exigidos no ato da inscrição. 

 

Os documentos comprobatórios das condições de inscrição serão exigidos dos candidatos nas datas estabelecidas no Calendário de Eventos do Anexo II, para Verificação de Documentos.

 

A CARREIRA DO OFICIAL DO CORPO DE ENGENHEIROS DA MARINHA 

 

O CORPO DE ENGENHEIROS

É o Corpo de Oficiais que gerencia e conduz as atividades de pesquisa, desenvolvimento, manutenção e projetos de meios navais, aeronavais e de fuzileiros navais e de seus equipamentos, além de realizar outras atividades específicas de cada especialidade na área de Engenharia.

 

Atualmente, os Oficiais do Corpo de Engenheiros são admitidos por meio de processo seletivo, nas áreas de Aeronáutica, Cartográfica, Civil, de Materiais, de Produção, de Sistemas da Computação, de Telecomunicações, Elétrica, Eletrônica, Mecânica, Mecatrônica, Naval e Química; ou ainda, são oriundos de Oficiais formados pela Escola Naval e que, por meio de seleção interna da Marinha, finalizam sua graduação na Universidade de São Paulo. 

 

O CURSO DE FORMAÇÃO

Os candidatos aprovados para o Corpo de Engenheiros realizarão um curso de nove (9) meses, no Centro de Instrução Almirante Wandenkolk (CIAW), situado na Ilha das Enxadas (Baía de Guanabara), na cidade do Rio de Janeiro.

Durante o curso, realizado anualmente de março a dezembro, no posto de Guarda-Marinha (GM), receberão vencimentos mensais de cerca de R$ 5.150,00.

 

Os oficiais-alunos terão as seguintes vantagens:

- Auxílio para aquisição de uniformes;

- Assistência médica-hospitalar;

- Alojamento e alimentação, entre outros benefícios.

 

O curso de Formação Militar-Naval e profissional consta basicamente das seguintes disciplinas:

- Treinamento Físico-Militar;

- Procedimento Militar-Naval;

- Armamento portátil e tiro;

- Organização da Marinha, Meios e Operações Navais;

- História e Tradições Navais;

- Relações humanas e Liderança;

- Direito;

- Organização e Administração;

- Gestão Contemporânea;

- Técnica de Comunicação Oral;

- Comunicações Navais; - Introdução à Tecnologia da Informação; - Arquitetura Naval e Estabilidade;

- Manutenção e Reparo de Meios Operativos;

- Instalação de Máquinas; - Sistemas Operativos;

- Combate a incêndio, entre outras disciplinas de interesse militar-naval.

 

Do curso consta também uma parte prática (Estágio de Aplicação) realizado a bordo de navios, Bases e outras Organizações Militares.

 

Após a aprovação no curso de formação, os GM (GM-EN) serão nomeados Oficiais da Marinha do Brasil, no posto de Primeiro-Tenente (EN), com vencimentos mensais de cerca de R$ 6.800,00, sendo indicados para o exercício de funções em Organizações Militares Industriais, de Ciência e Tecnologia e em Organizações de Controle e Supervisão Técnica. Terão, ainda, oportunidade de participar de projetos de ponta, como o Programa Nuclear da Marinha, tanto na área de desenvolvimento de combustível, quanto na área de reatores, além do Projeto de Desenvolvimento, Construção, Operação e Manutenção de Submarinos, inclusive o de Propulsão nuclear, com cursos e estágios no Brasil e no Exterior. 

 

CURSOS EXTRAORDINÁRIOS

O Oficial, ao longo da carreira, poderá realizar cursos extraordinários, que são cursos de pós graduação, normalmente em nível de mestrado ou de doutorado, destinados ao seu aprimoramento técnico-profissional, que requeiram habilitações especiais, em estabelecimentos de ensino no País ou no Exterior.

São realizados em caráter de voluntariado, por número de vagas estabelecido de acordo com a Sistemática de Planejamento de Pessoal da Marinha.

 

AS VANTAGENS

Durante sua carreira os oficiais realizarão cursos de carreira e terão oportunidade de: - realizarem cursos extraordinários em instituições civis e militares no Brasil e no exterior;

- dirigirem organizações militares na área de Engenharia;

- trabalharem no exterior e desempenharem outras atividades de interesse da Marinha. Graças à formação acadêmica e ao desempenho nas suas atividades poderão alcançar os diversos postos da Marinha, chegando por seus méritos ao de Capitão-de-Mar-e-Guerra (EN), ou ainda, por escolha de uma Comissão de Avaliação, ao de Almirante e chegar até o posto de Vice-Almirante (EN), o mais alto do Corpo de Engenheiros da Marinha. A Carreira Naval possui inúmeras vantagens e benefícios, tais como:

• perspectiva de crescimento profissional ao longo da carreira;

• bom ambiente de trabalho;

• plano de carreira bem definido, com possibilidade de ascensão contínua com aumento de salários proporcionais;

• estabilidade após cinco anos de serviço;

• ingresso sem exigência de experiência anterior;

• salário inicial compatível com o mercado;

• salários indiretos e benefícios, tais como:

• Transferências remuneradas;

• Possibilidade de moradia quando fora da cidade do Rio de Janeiro;

• Assistência médico-hospitalar para si e para seus dependentes em instalações exclusivas da Marinha;

• Instalações sócio-recreativas para si e seus dependentes, mediante pequena mensalidade;

• Ajuda para aquisição de uniformes;

• Alimentação;

• Aposentadoria com vencimentos integrais etc.

 

Ao ingressar no Corpo de Engenheiros da Marinha do Brasil, o candidato estará optando por abraçar a carreira militar como Oficial da Marinha, e não por exercer apenas sua profissão técnica.

 

Serão abertas diversas novas possibilidades, muitas vezes diferentes do que aquelas permitidas por sua formação original. Por isso, se você deseja ultrapassar os limites de sua formação técnica, ampliando seus horizontes e seguindo uma carreira cheia de possibilidades e emoções, plena de realização profissional, numa das mais antigas e conceituadas instituições do país, inscreva-se já.

 

A carreira militar é muito mais que uma simples profissão, é uma grande aventura e um compromisso de vida, que prima pela observância de valores éticos e morais.

 

 

EDITAL COMPLETO: 

=> AQUI <=

 

INSCRIÇÃO

=> AQUI <=

(*) Além das profissões relacionadas, serão considerados válidos os documentos comprobatórios de conclusão de cursos de bacharelado cujas denominações anteriormente utilizadas constem na Lista de Convergência de Denominação constante dos Referenciais Curriculares Nacionais dos Cursos de Bacharelado e Licenciatura, disponível no sítio eletrônico do Ministério da Educação (MEC), na Internet www.mec.gov.br.