Métodos de Pesca- Conhece todos?

O assunto é sobre métodos de pesca que existem e como são utilizados.

Os métodos de pesca que existem são:

Apanha sem utensílios
• Pesca por ferimento
• Pesca por entorpecimento
• Pesca à linha
• Pesca com armadilhas
• Pesca por arte de arrastar
• Pesca por arte envolvente de cerco
• Pesca por arte de Emalhar

Apanha (captura sem utensílios):

Neste método de pesca, o pescado captura-se com as próprias mãos.
Poderá ser à superfície ou mergulhando.
Poderá recorrer-se também a ajuda de animais.

Pesca por ferimento:

É o tipo de pesca em que se apanha o pescado recorrendo a um utensílio, que poderá ser:
• De mão- uma fisga;
• Arremesso- um arpão.

 

Pesca por entorpecimento:

O pescado poderá ficar letárgico por diversos tipos de entorpecimento:

• Entorpecimento por ação mecânica;
• Entorpecimento por ação química;
• Entorpecimento por choque eléctrico.

Com o pescado adormecido torna-se fácil de o capturar.

 

 

Pólo e linha:

Pólo e linha é um método de pesca usado para capturar o atum e outras espécies pelágicas de grande porte, um peixe de cada vez.

Quando uma escola de peixe alvo é localizada, a água é pulverizada a partir da parte de trás do navio de pesca e pequenas iscas de peixe (por exemplo, sardinhas) são espalhadas na superfície da água, criando a ilusão de uma escola ativa de presas.

Esse processo, conhecido como chumming, envia o peixe-alvo para um frenesi durante o qual ele morderá qualquer coisa que vir. Os pescadores se alinham ao longo da parte de trás (popa) ou em um dos bordos (lados) do barco, cada um com um poste de madeira ou fibra de vidro de mão com uma linha curta e um gancho de barba em anexo. Uma vez que um peixe é enganchado, ele é levantado e sobre a cabeça do pescador e para o convés.

Este método permite a pesca individual. É utilizado para a pesca de atum e de outras espécies médias de peixe.

Poderá ser feita ou não dentro de uma embarcação.

 

Longlines

Como o nome sugere, a pesca com palangre trilha uma linha longa, ou linha principal, atrás de um barco.

Ganchos com baias são presos às redes em intervalos para atrair as espécies-alvo. Os palangreiros podem ser fixados para a pesca pelágica (média) ou demersal (inferior), dependendo das espécies-alvo. 
Sem uma gestão cuidadosa, a pesca com palangre pode ter interações não intencionais com peixes não-alvo, aves marinhas e outras formas de vida marinha. Por causa disso, para se tornarem certificados pelo MSC, eles geralmente precisam fazer melhorias em seus programas de monitoramento e mitigar as interações com espécies não-alvo.

Ilustração de artes de pesca espinhel

 

Pesca com armadilhas:

Este método consiste em levar o pescado a entrar dentro da armadilha através de um isco.
Estas são de fácil entrada, mas de difícil saída, para que o peixe fique preso no seu interior.

Armadilhas estacionárias, ou vasos, tipicamente feitos de madeira, rede de arame ou plástico, são usados ​​para capturar crustáceos como lagostas e caranguejos. Embora o tamanho e a forma das armadilhas possam variar, todos apresentam um túnel de entrada em forma de cone através do qual um caranguejo ou lagosta é atraído com isca, mas não consegue escapar.

As armadilhas são colocadas no fundo do mar por cerca de 24 horas antes de serem transportadas a bordo de um barco para colheita e re-isca. Embora possam ser dispostas individualmente, elas são mais comumente dispostas em cordas (frotas) com várias armadilhas presas a uma corda longa.

Pesca de arrasto:

Existem vários tipos de pesca de arrasto.
Tanto poderá ser um arrasto mais artesanal com uma draga de mão, como feito de forma industrial em navios de pesca de arrasto.

As redes de arrasto pelágico, ou de águas intermédias, têm um corpo em forma de cone e um «fim de bacalhau» fechado que prende a sua captura.

As redes de arrasto pelágico são geralmente muito maiores do que as redes de arrasto pelo fundo e podem ser rebocadas por um ou dois barcos (arrasto de parelha). Eles são projetados para atingir peixes nas águas intermediárias e superficiais, como o arenque, o hoki e a cavala. A tecnologia acústica é utilizada para localizar a posição e a profundidade do peixe alvo e o percurso do (s) barco (s) e as redes de arrasto são ajustados em conformidade.

Pesca por arte envolvente de cerco:

Neste método o navio dá uma volta de 360º à volta do cardume para o envolver no cerco.
Desta forma o pescado ficará no centro do arrasto e poderá ser apanhado.

As redes de cerco de retenida são usadas em mar aberto para atingir cardumes densos de peixes pelágicos de espécies únicas (midwater) como o atum e a cavala.

Uma 'cortina' de rede vertical é usada para cercar o cardume de peixes, cujo fundo é então puxado para envolver o peixe, mais ou menos como apertar os cordões de uma bolsa com cordão. 

Pesca por arte de Emalhar:

Neste tipo de pescas deixa-se a rede suspensa, num local onde sabe-se que existe um determinado tipo de peixe que pretendemos capturar.
O peixe ao passar pela rede fica emalhado, isto é, preso nas suas malhas, devido ao seu próprio movimento de encontro à rede.

Uma rede de emalhar é uma parede ou cortina de rede que paira na água. O termo abrange várias formas, incluindo redes de emalhar estacionárias e tresmalhos.

As redes de emalhar geralmente têm baixo impacto ambiental com interação mínima no leito marinho. O tamanho do peixe capturado pode ser determinado pelo tamanho da malha, ajudando a evitar a captura de juvenis.

 

Caso conheçam mais algum método de pesca, compartilhem conosco ! 

Imagens retiradas de MSC.org.

Créditos: 

https://seagirl.pt/curiosidades/metodos-de-pesca-conhece-todos/

https://www.msc.org/what-we-are-doing/our-approach/fishing-methods-and-gear-types